Tudo o que pintar para ajudar nossa vida a ser mais saudável e nosso planeta mais viável.

Irresponsabilidade: irregularidade nos rótulos. CHOCOLATES GAROTO




 
Este post é um alerta para os ALÉRGICOS e também aos VEGANOS: cuidado com os rótulos dos alimentos. Neste caso: CHOCOLATES GAROTO. 
 
 Como já disse em algum momento por aí no blog, tenho uma filha de 6 anos que é alérgica desde o nascimento. Essa alergia é bastante séria e complexa. Ela é alérgica a leite e derivados, ovos, poeira, pólen e pêlo de animais e apresenta diversos sintomas, desde simples coceiras a angiedema e insuficiência respiratória, tendo inclusive ido parar por 2 vezes na UTI.

Descobrimos a alergia ao leite nos primeiros meses de vida, pois apresentava sangue nas fezes mesmo sendo apenas amamentada e por isso nem pude continuar dando de mamar. Desde então, ela toma apenas fórmulas especias a base de soja e nem contato na pele com o leite de vaca ela pode que já apresenta reação. Hoje em dia, suas reações estão diminuindo e este ano comemoramos que não tenha tido nenhuma internação apenas reações medicáveis em casa mesmo.

Quem me conhece ou conhece alguém com alguma limitação desse tipo, sabe como é complicada a vida do alérgico e também da mãe que procura oferecer de tudo para que a criança não passe vontade demais. Vontade vai passar, não tem jeito, é muita proibição, mas desde que me vi com uma filha com tantas impossibilidades, quis poder oferece-lhe um mundo um pouquinho mais gostoso e grande parte da minha vida é procurar substitutos ao que ela não pode comer.

Com isso, parte da nossa vida é buscar coisas que ela possa comer, pois praticamente tudo vai leite/ovos ou pelo menos pode conter traços pois são feitos em máquinas que em algum momento utilizam leite para algum produto. Passo horas no mercado lendo rótulos e pesquisando e aprendendo receitas novas. Não por acaso me aprofundei na culinária vegana que por não conter nada de origem animal é a melhor saída para alimentá-la principalmente fora de casa.

Numa dessas buscas, encontrei um chocolate da Garoto, um meio-amargo, que não continha em seus ingredientes nem leite/derivados e nem mencionava traços. Ficamos muito felizes, pois os chocolates que ela pode são mais caros e difíceis de encontrar. Demos apenas um pedacinho para ela experimentar, pois por ser muito sensível ela no mesmo instante sente a garganta arder caso haja algum vestígio de leite. E foi o que aconteceu. Estávamos super felizes por termos encontrado um chocolate "comum" que ela pudesse e no final foi frustante para todos e bastante estressante passar a noite na expectativa de uma reação mais grave. Como já sabemos que providências tomar a medicamos e ficamos observando. A reação foi superficial, apenas coceira e um pouquinho de inchaço nos olhos, mas depois de uns dias voltou ao normal. 

Passado esse incoveniente, entrei em contato com o SAC da Garoto e para minha surpresa a atendente respondeu que CONTÉM LEITE nos ingredientes, e que se trata de uma mistura do chocolate ao leite com o amargo. Isso é de uma irresponsabilidade absurda além de ir ferir o código do consumidor. Disseram ainda que eu deveria entrar em contato com o SAC antes de comprar algum produto e falar com a nutricionista. Você consegue imaginar uma coisa dessas?

Fui ao PROCON que me orientou a procurar um advogado e eu não quero apenas indenização, eu quero que com isso possamos reinvindicar das autorizades uma melhor fiscalização, punição e compromisso das empresas com o que colocam na nossa mesa. Se uma informação preciosa dessas pode ser omitida, o que mais não se omite nos rótulos?

Pelo código do consumidor as empresas tem a obrigação de informar os ingredientes e alertar a possíveis riscos. Mas quem fiscaliza? Nesse caso ela percebeu e se fosse uma pessoa que não tem essa sensibilidade e tivesse comido o suficiente para ter uma reação mais grave? Quero uma cláusula na lei assim como é obrigatório descriminar a presença de glúten que seja também para alergênicos que são muitos mais presentes na população do que celíacos (sensíveis a glúten). 

5 comentários:

  1. Paulo Nolasco de Andrade.11 de setembro de 2012 19:47

    Fico decepcionado com este ato do PROCON já que ele foi criado como defesa do consumidor e não como agiota, ele deixou de pensar em muitos que podem ser prejudicados para pensar tão somente em uma possível indenização. Não acredito que seja só esta sua função.

    ResponderExcluir
  2. Paulo, o PROCON até disse que iria encaminhar um aviso para a empresa sobre a irregularidade, mas sabemos que não iria dar em nada e me recomendaram contratar um advogado por danos morais. Não era o que eu esperava desse órgão, achei que eles tivessem mais poder, mas de qq forma irei atrás para ver no que dá. Obrigada pela opinião.

    ResponderExcluir
  3. Tem que denunciar para a ANVISA, que é o orgão que regulamenta rotulagem de alimentos

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Paula, como não existe lei sobre traços, fica à critério da empresa, e nós é que corremos o risco...

    ResponderExcluir
  5. Parabens pelo comentario Clarissa! Como anda a alergia da sua filha hoje, 3 anos depois? Minha filha tem 4 anos e é alergica no mesmo grau q a sua. Moro nos EUA e aqui eh bem menos pior q no nosso Brasil. Qdo vou ai, é uma tensao gigantesca p mim! Nao me sinto segura em lugar nenhum c relacao a isso. Nao ha rotulos bons pra alergenicos e muuuuitas coisas os ingredientes sao feitos naquelas letras minusculas quase invisiveis. Aqui, qualquer restaurante vc pede o menu p alergenico. Confesso q ir ao Brasil me entristece muito com relacao a isso :(. Aqui eh feito exame de sangue anualmente p ver como anda a alergia dela. Alem de exames alimentares com monitoramento medico. E ainda assim, so nos maes p saber o sofrimento da outra numa situacao dessas!! P favor me escreva contando, ate pq ha chances de elas melhorarem disso c fe em Deus! Meu nome eh Claudia. cauzinha15@gmail.com

    ResponderExcluir